(Português) Instinto: Lagostim arranca a própria pata para escapar de panela fervente

IN ORIGINAL LANGUAGES, 11 Jun 2018

Eliane Arakaki - ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais

Em uma tentativa desesperada para sobreviver, lagostim comove os presentes e terá vida tranquila em um aquário doméstico.

5 junho 2018 – Um lagostim arrancou uma de suas próprias garras para evitar ser cozido vivo. Surpreendentemente após essa mutilação ele foi adotado exatamente pelo homem que estava prestes a comê-lo.

Os instintos de sobrevivência do crustáceo de pensamento rápido entraram em ação quando ele se viu agarrado à borda de uma panela fervente, em um restaurante na China, lutando pela vida.

O lagostim estava sendo cozido vivo por aqueles que pediram o prato, até o momento em que ele resolve dar uma reviravolta nesse processo mortal. No vídeo, o lagostim pode ser visto escalando a panela quente, enquanto uma de suas garras permanece imóvel lá dentro, sendo cozida sem vida.

No que parecia ser uma tentativa determinada de não ser arrastado de volta para a água fervente por sua garra morta, o crustáceo então se livrou, ele mesmo, do “membro” com a ajuda de sua garra direita, socando e empurrando a esquerda até ela se soltar e cair de volta na panela. O crustáceo então, começou a rastejar pela mesa de jantar.

Em sua luta árdua pela sobrevivência o lagostim não hesita em se livrar de uma das garras.
| Foto: Divulgação

Embora teria sido simples pegar o fugitivo e jogá-lo de volta, de corpo inteiro, à panela, o rapaz que pediu o prato, conhecido apenas como Jiuke, decidiu transformá-lo naquela mesma hora, em um animal de estimação e acabou levando-o para casa para uma vida longo e feliz vida em um aquário.

Adicionando essa reviravolta inesperada à histórias intitulada de “aquele que escapou”, o jornal Taiwan News informou que Jiuke filmou de seu celular a incrível fuga do crustáceo e postou no facebook. o O vídeo teve mais de impressionantes 635.000 visualizações.

Exibido primeiro na plataforma de mídia social chinesa Weibo, o videoclipe de 11 segundos atraiu milhares de pessoas. Após isso, em entrevista, Jiuke disse ao Taiwan News que ele havia adotado o lagostim após assistir sua fuga dramática da morte certa. “Eu o deixei viver”, ele disse.

“Eu já o levei para casa e o estou criando em um aquário”, finalizou ele.

Sua atitude recebeu aplausos das pessoas que assistiram ao vídeo e que lhe pediram para não comer o lagostim. A história ganhou grande notoriedade.

Não há preocupações quanto ao fato do protagonista da “fuga das profundezas” ter que viver com apenas uma garra para o resto de sua vida. Especialistas em vida marinha afirmam que os lagostins são capazes de fazer crescer seus membros inferiores.

Em 2014 uma lagosta grávida que perdeu as garras e as quatro patas conseguiu fazer crescer todos os seus membros e até garras voltaram, foi informado pelo jornal.

A China é considerada o maior criador de lagostins do mundo. A produção triplicou em pouco menos de 10 anos, de 265.500 toneladas em 2007 para 852.300 toneladas em 2016.

____________________________________________

A imprensa não apenas informa. Ela forma conceitos. Modifica ideias. Influencia decisões. Define valores. Participa das grandes mudanças sociais e políticas trazendo o mundo para o indivíduo pensar, agir e ser. É justamente este o objetivo da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais: informar para transformar. A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo voltado exclusivamente a fatos e informações do universo animal. Com profissionalismo, seriedade e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na imprensa.

Go to Original – anda.jor.br

 

Share this article:


DISCLAIMER: In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


Comments are closed.