(Português) Nascido para Sofrer: Filhote de macaco treme de medo ao ser afastado dos pais para ser explorado em laboratório

ORIGINAL LANGUAGES, 9 Sep 2019

Eliane Arakaki - ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais

Submetidos a alimentação forçada e injeções de compostos experimentais que podem resultar em sequelas dolorosas, esses animais passam toda a vida sendo vítimas de tortura e sofrimento.

Foto: Animal Defence International

 3 set 2019 – Gritando e aterrorizado, um bebê macaco destinado a ser cobaia de testes em laboratórios, treme de medo após ter sido cruelmente arrancado de seus pais em uma fazenda de criação de animais.

Sua mãe e seu pai foram capturados na natureza para serem engaiolados e forçados a se reproduzirem em condições assustadoras e antinaturais.

Há um aumento preocupante no uso de macacos-de-cauda-longa em experimentos, principalmente no Reino Unido, assim como este mostrado no vídeo cujos pais foram capturado nas Ilhas Maurício, para testes e pesquisas, apesar de uma lei da União Europeia ser contra esse tipo de procedimento.

A ONG Animal Defenders International responsável pelo vídeo apresentado nessa matéria luta pelos direitos desses animais.

Jan Creamer, chefe da ADI, disse em depoimento ao Mirror: “Não só os bebês-primatas criados em cativeiro viram cobaias, mas os pesquisadores utilizam também macacos retirados da natureza, como os pais desses filhotes”.

“Países que utilizam essas cobaias incentivam efetivamente revendedores no Vietnã e nas Ilhas Maurício a capturar animais e manter em suas fazendas industriais prendendo macacos selvagens”.

Os números mais recentes mostram um aumento de 12% no uso desses primatas só em laboratórios britânicos. Um total de 246 filhotes de macacos capturados na natureza, conhecidos como primatas “F1”, foi usado nos laboratórios do Reino Unido no ano passado, representando cerca de 10% do uso de primatas. Segundo a legislação da UE, o uso de F1s será eliminado até 2023.

De acordo com o Mirror, o governo do Reino Unido estava caminhando para esse prazo, sem nenhum macaco usado em laboratórios britânicos de 2014 a 2016 e apenas um em 2017.

Foto: Animal Defence International

Mas há preocupações de que isso possa ficar fora de controle se houver desregulamentação e abandono das regras da UE após o Brexit.

Um total de 2.606 macacos de cauda longa foram importados para a Grã-Bretanha no ano passado, 2.064 das Ilhas Maurício e 542 do Vietnã.

Nas Ilhas Maurício, a ONG ADI filmou macacas grávidas sendo maltratadas e presas, e os macacos sendo pegos violentamente pelas caudas, nas principais instalações de criação, em Biodia.

No Vietnã, eles viram macacos mantidos em pequenas gaiolas enferrujadas que estavam em estado de inanição.

A maioria dos primatas (2.148) foi usada no ano passado para testes regulatórios de segurança de substâncias químicas e foi submetido a alimentação forçada ou injeções de compostos experimentais e restrições no corpo inteiro.

Os efeitos colaterais desses procedimentos podem ser horríveis. Esses animais sencientes são submetidos a uma verdadeira tortura.

Esperança para o futuro

Conforme matéria publicada pela ANDA, o Partido Trabalhista do Reino Unido planeja, como parte de sua campanha a favor dos direitos animais, acabar com os testes em animais e proibir a venda de troféus de caça.

O partido também quer, depois de uma pesquisa pública, revisar o uso de chicotes em corridas de cavalo, proibir a pesca por pulso elétrico (que eletrocuta os peixes, forçando-os a saírem da água) e acabar com as armadilhas utilizadas para capturar os animais. O Partido Trabalhista também planeja incluir pena máxima para um réu culpado por crueldade animal.

A secretária do meio ambiente, Sue Hayman, afirmou que o Partido Trabalhista quer levar a política de bem-estar animal britânica para o século 21 e protegê-los.

“Depois de consultar o público e grupos envolvidos com a pesquisa, é claro que precisamos focar mentes e recursos em alternativas para os testes em animais, que devem ser eliminados”, disse Hayman, acrescentando que os experimentos, além de machucar os animais, muitas vezes são ineficazes.

Segundo dados da Home Office, em 2018 3,52 milhões de testes em animais foram realizados no Reino Unido. Em pelo menos 100 mil dos casos os animais sofreram severamente e cerca de 90 mil morreram.

____________________________________________

A imprensa não apenas informa. Ela forma conceitos. Modifica ideias. Influencia decisões. Define valores. Participa das grandes mudanças sociais e políticas trazendo o mundo para o indivíduo pensar, agir e ser. É justamente este o objetivo da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais: informar para transformar. A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo voltado exclusivamente a fatos e informações do universo animal. Com profissionalismo, seriedade e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na imprensa.

Go to Original – anda.jor.br


Tags: , , , , , , , ,

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

*

code

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.