(Português) ONG britânica expõe violência por trás da carne de porco (Vídeo)

ORIGINAL LANGUAGES, 29 Jun 2020

David Arioch | Vegazeta – TRANSCEND Media Service

Viva! mostra que a realidade por trás de uma certificação de “bem-estar animal” pode ser diferente do que os consumidores de carne de porco imaginam.

Na segunda-feira (22), a organização britânica Viva! disponibilizou em seu canal no YouTube um vídeo que expõe cenas de violência envolvendo a criação de porcos com fins de consumo na Inglaterra.O vídeo que mostra animais sendo espancados e arremessados, incluindo leitõezinhos com poucos dias de idade, é resultado de filmagens realizadas com câmeras escondidas ao longo de três semanas.

O que está chamando a atenção no Reino Unido é que as imagens foram feitas em propriedades de onde partem animais que terão suas carnes comercializadas em grandes redes de supermercados do país – como a Morrissons. Ou seja, ao alcance de muitos consumidores.

Carnes vendidas com certificação de “bem-estar animal”

Além disso, são carnes vendidas com certificação de “bem-estar animal”, o que pode levar consumidores a entenderem que a criação de animais para consumo e com fins de abate não é nada romântica, porque já traz em si uma fácil associação com a violência inerente à indústria da carne – o que varia é o nível de crueldade.

Para além de práticas já comuns, como manter animais em estado de privação e confinamento até o dia em que são encaminhados aos matadouros, a organização encontrou animais feriados antes de serem encaminhados para o abate.

“Encontramos um leitão com uma anomalia no estômago, jogado em um corredor e se contorcendo de dor. O animal havia sido abandonado, deixado sozinho para sofrer uma morte lenta e dolorosa.”

A investigação da Viva! também mostra leitões que não se desenvolveram “como deveriam”, considerados desinteressantes para a indústria da carne, sendo abatidos de forma bem cruel – arremessados com violência contra um piso de concreto.

_____________________________________________

 

David Arioch é jornalista profissional, historiador e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário.

 

Go to Original – vegazeta.com.br


Tags: ,

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

*

code

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.