(PORTUGUESE) COMISSÃO EUROPEIA AUTORIZA O CULTIVO DE BATATA TRANSGÉNICA

COMMENTARY ARCHIVES, 4 Mar 2010

Esquerda.net, Portugal

Pela primeira vez desde 1998, a Comissão Europeia autorizou o cultivo de um transgénico: a batata Amflora, produzida pelo grupo alemão BASF. Aceitou também a comercialização de milho da Monsanto.

A Comissão Europeia autorizou o cultivo de um transgénico, o que não acontecia desde 1998 e aproveitou para autorizar também a comercialização, mas não o cultivo, de três variedades de milho transgénico, do grupo americano Monsanto.

A Greenpeace denunciou o processo usado pelo comissário europeu para a Saúde e o Consumo, John Dalli, em acordo com o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso. Segundo a organização ambientalista, John Dalli usou o chamado procedimento escrito, para evitar o debate no colégio de comissários.

John Dalli declarou à comunicação social: "Depois de uma vasta e profunda análise aos pedidos existentes sobre transgénicos, tornou-se claro para mim que não existem questões científicas que exijam mais estudo. Todas as questões científicas, especialmente as relativas à segurança, foram totalmente levadas em conta".

Pelo contrário, Marco Contieri, director da Greenpeace para a política agrícola da União Europeia, disse: "É chocante que um dos primeiros actos oficiais da [nova] Comissão Europeia seja autorizar um organismo geneticamente modificado (OGM) que pões o ambiente e a saúde em risco". Segundo Contieri, Durão Barroso foi incapaz de provar, em seis anos, que esta batata transgénica não tem riscos e apoiou a decisão sem sequer debater com todos os comissários.

A Greenpeace alerta ainda que a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Agência Europeia do Medicamento tinham chamado a atenção para a "importância crítica" da resistência aos antibióticos que a batata Amflora provoca. A organização ambiental diz ainda que a autorização foi dada, quando uma maioria de estados-membros da UE se tinham oposto ao cultivo desta batata transgénica.

Entretanto, o ministro da Agricultura de Itália criticou a decisão da Comissão Europeia e disse que o governo italiano vai avaliar a possibilidade de promover uma frente comum de todos os países que se queiram unir para "defender a saúde dos cidadãos e os agricultores".

GO TO ORIGINAL – ESQUERDA.NET

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


Comments are closed.