(Português) Homossexualidade não tem cura, homofobia sim

IN ORIGINAL LANGUAGES, 9 October 2017

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos - Brasil de Fato

Deve ser objetivo do país erradicar toda e qualquer forma de discriminação, construindo assim uma sociedade democrática.

“O avanço conservador nos recorda ainda a urgência de lutarmos pela despatologização das identidades trans”. / Mídia Ninja

21 set 2017 – A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos – ABGLT, entidade que congrega cerca de 300 organizações e tem como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população, repudia a decisão liminar do juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho, que, sem embasamento científico, deu margem para o uso de terapias de “reversão sexual”, tratamento proibido pelo Conselho Federal de Psicologia desde 1999.

A resolução de 1999 do Conselho de Psicologia representa uma conquista da população LGBT, normatizando na prática profissional de psicólogas/os o entendimento já consolidado pela Organização Mundial de Saúde em 1990 ao retirar a homossexualidade da lista de doenças. A decisão judicial retrógrada desta semana não só contraria normas de direito internacional, mas sobretudo atenta contra a Constituição Federal.

Deve ser objetivo do país erradicar toda e qualquer forma de discriminação, construindo assim uma sociedade verdadeiramente democrática e livre. O discurso médico-jurídico da patologização dos comportamentos colocados como desviantes é historicamente usada para o controle e higienização social de negras e negros, usuários de drogas, mulheres e também da população LGBT. A ofensiva conservadora visa impor práticas de tortura psicológica e reforçar o estigma em torno da diversidade sexual e de gênero.

O avanço conservador nos recorda ainda a urgência de lutarmos pela despatologização das identidades trans, para que travestis e transexuais tenham seus direitos garantidos. A ABGLT lutará de todas as formas para garantir a manutenção da resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia.

Homossexualidade não tem cura, mas sua homofobia sim!

______________________________________

Edição: Joana Tavares

Go to Original – brasildefato.com

 

Share or download this article:


DISCLAIMER: In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

 (please enter the four letters and numbers you see above, no spaces)