(Português) Câmeras escondidas revelam a crueldade de fazendas (quintas) premiadas de porcos

ORIGINAL LANGUAGES, 20 Nov 2017

Claudia Braghetto - ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais

Todos os animais haviam tido seus rabos amputados, uma mutilação dolorosa e feita sem anestesia.

17 nov 2017 – Uma investigação conduzida pela organização Animal Equality e feita nas fazendas/quintas do grupo Red Tractor na Grã-Bretanha revelou cenas chocantes de crueldade e sofrimento. Nelas é possível ver porcas em minúsculas gaiolas de gestação por muitos dias corridos, uma prática banida do Reino Unido desde 1999.

Hall Farm

De acordo com os investigadores, foram feitas múltiplas visitas à fazenda localizada em Norfolk, durante os meses de Setembro e Outubro de 2017. Foi observado que um grupo de porcos ficou confinado por mais de cinco dias em uma baia minúscula. As filmagens mostram os porcos mordendo as barras e sendo agressivos, o que evidencia que eles estavam extremamente estressados.

Ainda na Hall Farm, um porco tinha um abcesso enorme em suas costas e outro uma ferida infeccionada em uma das pernas, ambos largados em um cercado com outros porcos e sem tratamento algum. Doentes e, assim como os outros, impossibilitados de agirem naturalmente. Todos os animais haviam tido seus rabos amputados, uma mutilação dolorosa e feita sem anestesia.

Porco com abcesso. (Foto: Animal Equality)

Poplar Farm

Na Poplar Farm, próximo a cidade de Yorkshire, a organização encontrou vários animais com ferimentos abertos nas orelhas, porcas grávidas sendo mantidas em baias de concreto vazias, porcos com cicatrizes profundas e com seus rabos mutilados.

Cross Farm

Visitada em Outubro deste ano, a fazenda localizada em Devon, é vencedora de prêmios da indústria de criação de porcos da Inglaterra. Mas as condições eram deploráveis.

Porcos em instalações com vazamentos e cheias de lama, sendo forçados a deitar em suas próprias fezes. Foram vistos dois porcos com hérnias enormes junto dos demais, porcas grávidas em condições horríveis e, mais uma vez, a mesma prática de mutilação de rabos.

Porcos em instalações precárias. (Foto: Animal Equality)

Grange Farm

Na fazenda em Lincolnshire, havia um leitão morto em decomposição junto de sua mãe e seus irmãos, além de todas as outras atrocidades encontradas nas outras fazendas.

Filhotes de porco com rabos mutilados (Foto: Animal Equality)

Em teoria, os porcos são os animais de fazenda mais protegidos da Inglaterra. Eles não podem ser colocados em gaiolas pequenas e nem terem seus rabos amputados. Mas as investigações mostram que as práticas ainda estão acontecendo nas fazendas britânicas, como conta o site Plant Based News.

De acordo com o Professor Bo Algers, especialista em legislação referente aos suínos da União Europeia e que analisou a imagens das fazendas, todas estariam cometendo sérias infrações.

A Animal Equality lançou uma campanha exigindo que o governo, revendedores e a empresa tomem as providências necessárias. Todo o material – vídeos, fotos e recomendações – foi enviado para a Animal and Plant Health Agency, órgão responsável por investigar as irregularidades nas fazendas. Estão sendo exigidas punições firmes para as fazendas que falham até mesmo em cumprir o que está na lei.

____________________________________________

A imprensa não apenas informa. Ela forma conceitos. Modifica ideias. Influencia decisões. Define valores. Participa das grandes mudanças sociais e políticas trazendo o mundo para o indivíduo pensar, agir e ser. É justamente este o objetivo da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais: informar para transformar. A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo voltado exclusivamente a fatos e informações do universo animal. Com profissionalismo, seriedade e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na imprensa.

Go to Original – anda.jor.br

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


Comments are closed.