(Português) Coelhos com defeitos congênitos sofrem extrema violência em fazendas/quintas de pele

ORIGINAL LANGUAGES, 25 Dec 2017

ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais – TRANSCEND Media Service

Uma filmagem chocante expõe as terríveis condições das fazendas/quintas de coelhos usadas por algumas das mais famosas marcas de luxo do mundo.

23 dez 2017 – O vídeo foi feito pelo grupo de direitos animais L214, que teve acesso a três fazendas e a um matadouro no Sudoeste da França. As cenas mostram que centenas de coelhos são mantidos em pequenas gaiolas com muitos ferimentos e defeitos congênitos.

Foto: L214

O L214 informou que as fazendas fornecem pelos de coelho para marcas de moda de luxo. Os animais nascem dentro das gaiolas estreitas e nunca veem a luz do dia antes de serem mortos. O vídeo mostra um coelho recém-nascido, sem pelos e cego, tremendo no chão da gaiola de metal. Os animais passam as vidas sobre o metal e suas garras caem, provocando dor e feridas nas patas.

Foto: L214

O filme também mostra coelhos com ferimentos nas pernas e rostos e alguns deles precisam pisar nos outros para se movimentar. Os ativistas alegam que um em cada quatro coelhos morre nas gaiolas antes de serem assassinados. Uma sequência devastadora parece mostrar uma mãe lambendo os pelos dos seus bebês mortos.

A filmagem feita no matadouro revela a preparação dos angorás albinos para serem esfolados. Um membro da equipe assassina os coelhos, colocando a cabeça deles em uma máquina antes de pendurá-los pelas patas e dilacerar suas gargantas para que sangrem em uma correia transportadora.

Foto: L214

Vários coelhos continuam chutando e se contorcendo depois de terem a cabeça colocada na máquina enquanto estão pendurados, revela a reportagem do Daily Mail.

Assim como ocorre com a maioria dos animais, os músculos e os órgãos dos coelhos funcionam durante alguns segundos após a morte cerebral e espasmos são comuns. Porém, os coelhos se contorcem por um período de tempo desconfortavelmente longo após os assassinatos.

Foto: L214

Várias marcas de luxo, incluindo a Dolce & Gabbana, a Fendi e a Dior são conhecidas por usar peles de coelho. Porém, não se sabe se qualquer uma dessas fazendas é uma das suas fornecedoras. O Instituto Nacional Francês de Pesquisa Agrícola (INRA) prometeu realizar “uma missão de inspeção interna no local dentro de 48 horas”.

_____________________________________________

A imprensa não apenas informa. Ela forma conceitos. Modifica ideias. Influencia decisões. Define valores. Participa das grandes mudanças sociais e políticas trazendo o mundo para o indivíduo pensar, agir e ser. É justamente este o objetivo da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais: informar para transformar. A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo voltado exclusivamente a fatos e informações do universo animal. Com profissionalismo, seriedade e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na imprensa.

Go to Original – anda.jor.br

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


Comments are closed.