(Português) Sofrimento performático: Lutadores de artes marciais derrubam touros em espetáculo para entreter turistas

IN ORIGINAL LANGUAGES, 5 Nov 2018

Julia Cortezia - ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais

Para marcar pontos, lutadores marciais lutam até derrubarem touros no chão.

A luta de touros tem ganhado destaque entre os mestres de Kung Fu e turistas.
(Foto: Daily Mail Online)

1 nov 2018 – Uma prática que envolve lutadores de artes marciais combatendo touros tem ganhado destaque entre os mestres de Kung Fu e muitos turistas na China.

O “esporte” da minoria étnica muçulmana Hui envolve forçar touros à lutar com lutadores treinados, que devem derrubá-los para ganhar pontos.

A prática tem sido largamente criticada por muitos defensores de animais, dizendo que o esporte confere como uma crueldade contra eles.

A prática ocorre em um tipo de anfiteatro romano para entreter turistas. Um artista marcial musculoso levanta o animal, empurrando sua cabeça de um lado para outro antes de entregá-lo ao desafiante.

Um lutador lança um touro no chão durante um show em uma arena em Jiaxing, na província chinesa de Zhejiang. (Foto: Daily Mail Online)

Nos jogos, os pontos são marcados forçando os touros desequilibrados e empurrando-os para o chão. Li Bo, um apreciador da prática, diz que o desafio está na grande diferença de peso entre o touro e o humano.

“Nós usamos nosso conhecimento profundo de Wushu e suas técnicas para derrubar o boi sem machucá-lo”, disse o mestre Han Haihua.

Defensores de animais afirmam que a prática confere com violência e crueldade animal. (Foto: Daily Mail Online)

Esse “esporte” força os animais a duros treinamentos e ficam sujeitos a se machucarem com as ações dos lutadores, que muitas vezes seguram seus chifres e prejudicam seus músculos enquanto se esticam contra os pescoços dos bovinos. Os lutadores, enquanto isso, tentam habilmente evitarem ser pisoteados.

Os touros são levados a um anfiteatro romano onde as apresentações são feitas para turistas. (Foto: Daily Mail Online)

Os touros são amarrados por um tipo de corda, que atravessa a região do seu nariz e pelas quais eles são puxados em todas as direções.

Considerado como um esporte, ele consiste em amarrar o touro com cordas que também atravessam a região de seu nariz. (Foto: Daily Mail Online)

Eles mostram sinais de aborrecimento e estresse, sendo obrigados a cair desajeitadamente no chão, afastar os atacantes ou correr para a saída mais próxima.

Os touros são vistos completamente assustados e aborrecidos com a ação de lutadores. (Foto: Daily Mail Online)

Han tem o desejo de espalhar a luta de touros ainda mais por meio de competições anuais. Segundo ele, a prática tem atraído mais de cem atletas de diversas disciplinas de combate, como o MMA, o judô e o taekwondo.

Sua maior esperança é que o esporte entre nas Olimpíadas.

____________________________________________

A imprensa não apenas informa. Ela forma conceitos. Modifica ideias. Influencia decisões. Define valores. Participa das grandes mudanças sociais e políticas trazendo o mundo para o indivíduo pensar, agir e ser. É justamente este o objetivo da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais: informar para transformar. A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo voltado exclusivamente a fatos e informações do universo animal. Com profissionalismo, seriedade e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na imprensa.

Go to Original – anda.jor.br

 

Share this article:


DISCLAIMER: In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

*

code

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.