(Português) Crueldade animal é denominador comum entre assassinos e estupradores

ORIGINAL LANGUAGES, 31 Dec 2018

Yasmin Ribeiro - ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais

Estatísticas apresentadas pelo governo dos Estados Unidos mostram que centenas de criminosos têm um histórico de crimes de crueldade animal na infância.

Foto: The Sun

28 Dez 2018 – Estatísticas do Ministério da Justiça dos Estados Unidos revelam que 13 assassinos, 22 estupradores infantis e 99 pessoas culpadas de abuso infantil foram condenados ou advertidos pela primeira vez na infância por crueldade contra animais.

As estatísticas do tribunal mostram uma ligação clara entre criminosos que começaram torturando e matando animais, antes de cometer crimes horrendos contra humanos.

A contagem, cobrindo os últimos 10 anos, também inclui 210 criminosos sexuais, 1,581 condenados por atacarem violentamente outras pessoas e 78 considerados culpados de abusar sexualmente de mulheres ou meninas.

Assim como os crimes de violência, havia também 569 acusações de porte de arma, 268 crimes de vandalismo e de incêndio e 179 crimes de roubo cometidos por esses infratores com crimes de crueldade contra animais em seu passado.

Os criminosos que mataram animais antes de se tornarem assassinos incluem o pistoleiro Dunblane Thomas Hamilton, e os assassinos Ian Brady, Robert Thompson e Jon Venables.

Especialistas acreditam que os criminosos que começam matando ou torturando animais na infância, frequentemente passam a realizar ataques similares a humanos. Pessoas que apresentam desejo de maltratar, torturar, ou mesmo sentem prazer ao ver o sofrimento de um animal, têm sem dúvida, um potencial psicopata.

____________________________________________

A imprensa não apenas informa. Ela forma conceitos. Modifica ideias. Influencia decisões. Define valores. Participa das grandes mudanças sociais e políticas trazendo o mundo para o indivíduo pensar, agir e ser. É justamente este o objetivo da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais: informar para transformar. A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo voltado exclusivamente a fatos e informações do universo animal. Com profissionalismo, seriedade e coragem, a ANDA abre um importante canal com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até hoje não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na imprensa.

Go to Original – anda.jor.br

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


Comments are closed.