(Português) Brasil: Com a farra do boi, Semana Santa vira semana de violência contra animais em Santa Catarina

ORIGINAL LANGUAGES, 29 Apr 2019

David Arioch | Vegazeta – TRANSCEND Media Service

Nessa violenta “brincadeira”, o animal é alvejado com pedras, paus, objetos cortantes e bombinhas, além de perseguido e mordido por cães.

Para evitar identificação, os farristas tiram o brinco do boi.
(Foto: Guto Kuerten)

20 abr 2019 – Proibida no Brasil há mais de 20 anos, a farra do boi continua a ser realizada ilegalmente em Santa Catarina, onde a prática quase sempre termina com a morte do animal, seja em decorrência da violência da farra ou do abate do boi após a captura.

Na Semana Santa, por exemplo, a farra do boi tende a se intensificar porque, sob a alegação de seguirem uma tradição açoriana, os farristas perseguem os bovinos como se fossem um tipo de Judas. E nessa violenta “brincadeira”, os animais são alvejados com pedras, paus, objetos cortantes e bombinhas, além de perseguidos e mordidos por cães.

Vegazeta

Em Santa Catarina, o movimento Brasil Contra Farra (BCF) tem liderado ações de combate à farra e se reunido com o Ministério Público, Polícia Militar e autoridades que possam ajudar a fortalecer essa luta contra a crueldade animal, inclusive garantindo resultados como a diminuição da prática em inúmeras cidades. Recentemente, Porto Belo recebeu uma condecoração do BCF por conseguir zerar as ocorrências da farra do boi.

No entanto essa realidade não representa um cenário geral. Na madrugada de ontem, por exemplo, houve uma farra do boi em Itapema e pelo menos três em Governador Celso Ramos, apontada como uma das cidades de Santa Catarina que é mais permissiva com a prática.

3DJuegos

Segundo informações do BCF, a farra prossegue hoje e a estimativa é de que pelo menos mais três sejam realizadas durante a Páscoa apenas em Governador Celso Ramos. “Nessa cidade, infelizmente quase todo mundo gosta de farra do boi. A gente denuncia que vai ter farra e mesmo assim é realizada, com barulho, som alto. É como se fosse um carnaval na Semana Santa”, lamenta o Brasil Contra Farra.

Para evitar a identificação, os farristas tiram o brinco do boi, o que faz com que até mesmo animais saudáveis sejam mortos após a captura, em prática classificada como abate sanitário. Sendo assim, de um modo ou de outro, essa violenta “brincadeira” culmina na morte do animal.

Facebook

Os participantes sustentam que a farra do boi tem um viés religioso, e por isso é encarada como a “perseguição de Judas, o traidor de Cristo” – “uma herança cultural que vem de seus ancestrais católicos portugueses”, alegam.

No entanto, além da Igreja Católica não aprovar a prática, grupos que atuam em defesa dos animais sempre frisam que é apenas violência pela violência, já que não há a mesma preocupação em relação a outros elementos inofensivos da cultura açoriana como “O Boi de Mamão” e o “Pão-por-Deus”.

_____________________________________________

 

David Arioch é jornalista profissional, historiador e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário.

 

Go to Original – vegazeta.com.br


Tags: , , , , , , , , , ,

 

Share this article:


DISCLAIMER: In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

*

code

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.