(Português) Morte de touro com forcão motiva denúncia da Associação ANIMAL de Portugal

ORIGINAL LANGUAGES, 19 Aug 2019

Sofia Neves - Público

Um vídeo do momento, que aconteceu na vila do Soito, mostra um touro a correr directamente contra a estrutura de madeira e a cair de imediato no chão da arena.

Bruno Simões Castanheira

13 Ago 2019 – Um touro morreu este sábado no Soito, concelho do Sabugal, no distrito da Guarda, durante uma capeia arraiana, uma técnica tauromáquica que consiste num grupo de pessoas que enfrentam um touro com um forcão em madeira, de vários metros, que funciona como uma espécie de escudo protector.

Um vídeo do momento, divulgado pela associação ANIMAL, que foi gravado por um espectador, mostra um touro a correr directamente contra a estrutura de madeira e a cair de imediato no chão da arena assim que embate no forcão. Na publicação do Facebook, a associação de protecção dos animais refere que já apresentou queixa à Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) sobre o sucedido.

https://www.facebook.com/watch/?v=465952094246505

“Pelo segundo ano consecutivo (que tenhamos imagens, porque, seguramente, este tipo de tragédia não se limitou a estes dois anos) morre um touro no Soito, Sabugal. Espantem-se, falamos de uma actividade registada como Património Cultural Imaterial no Inventário Nacional do Instituto dos Museus e da Conservação”, lê-se na publicação da associação.

beira.pt

De facto, este tipo de tradição é reconhecida como Património Cultura Imaterial de Interesse Municipal desde 2010, grau que lhe confere um regime de excepção. De acordo com a lei, “a realização de qualquer espectáculo com touros de morte é excepcionalmente autorizada no caso de tradições locais que se tenham mantido de forma ininterrupta, pelo menos, nos 50 anos anteriores à entrada em vigor do presente diploma, como expressão de cultura popular, nos dias em que o evento histórico se realize”.

Segundo se lê no site que divulga a existência deste tipo de eventos no concelho do Sabugal, é durante o mês de Agosto que se realizam a maior parte de espectáculos que envolvem este tipo de técnica tauromáquica, mês este que, refere a página, “é o tempo da mãe de todas as touradas – a capeia arraiana – espectáculo único que andou escondido esotericamente nas praças das nossas aldeias e que, agora, de há uns anos para cá parece ter perdido a vergonha e tudo faz para se dar a conhecer ao mundo”.

De acordo com a mesma página, a tradição raiana manda que as touradas com forcão, precedidas de encerro, se iniciem na freguesia Lageosa, no dia 6 de Agosto, e terminem em Aldeia Velha no dia 25 do mesmo mês. Para o resto do mês estão marcados mais espectáculos deste tipo em várias freguesias daquele concelho.

Na publicação que denuncia este tipo de actividade, a ANIMAL, que se define como uma organização não-governamental de defesa dos direitos fundamentais dos animais não-humanos fundada em 1994, afirma que “continua o seu trabalho de quase 25 anos contra a tauromaquia” e que continuará sempre a denunciar situações deste tipo.

beira.pt

“A tauromaquia não passa de um exercício de violência pura. Aficionados dirão [que] “acidentes acontecem”, nós dizemos [que] “há acidentes que podem ser evitados se actividades macabras de barbarização de animais não existirem”, refere ainda a associação.

Go to Original – publico.pt


Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

*

code

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.