(Português) Porcos: ONG internacional registra em vídeo triste realidade por trás do bacon

ORIGINAL LANGUAGES, 16 Sep 2019

David Arioch | Vegazeta – TRANSCEND Media Service

“Elas revelam inquietação, frustração e ‘lutam’ continuamente contra as gaiolas mordendo as barras de metal [que impedem qualquer tentativa de fuga]”.

“Como indivíduos sencientes e conscientes deste mundo, eles têm direitos morais à vida e à liberdade”, defende a organização.  (Imagens: Wake/Divulgação)

5 set 2019  – Gaiolas de gestação, expressões viscerais de descontentamento, gritos que parecem de crianças agonizando, incapacidade de se mover e de ter contato íntimo com os próprios filhos; e estresse crônica que culmina em mordidas nas grades de metal.

Este é o cenário registrado pela ONG internacional Wake em seu novo vídeo concluído em agosto sobre a triste realidade de porcos criados para consumo na Irlanda, assim como ocorre em diversos outros países. Enquanto alguns porquinhos mamam desesperadamente, os natimortos são deixados ao lado, como se fossem carcaças que jamais tivessem representado vidas; como se não significassem nada.

Incapazes de deixar o espaço reduzido em que estão confinadas, as porcas acabam por urinar e defecar onde comem e dormem, e até mesmo sobre os filhos já falecidos. O vídeo também revela como os pequenos suínos lutam pela vida, mesmo em um cenário extremamente desolador que inspira morte por todos os lados.

Aqueles que nascem com alguma doença ou malformação frequentemente são mortos. Na Irlanda, por exemplo, a legislação não impede que porquinhos nessas condições sejam agarrados pelas patas traseiras e tenham suas cabeças esmagadas contra uma superfície bem dura, segundo a organização Wake.

A prova disso é confirmada por meio de cenas que mostram ainda bebês suínos arremessados em latas de lixo, depois de mortos.  Além disso, o confinamento tem um grande impacto psicológico nas porcas.

“Elas revelam inquietação, frustração e ‘lutam’ continuamente contra as gaiolas mordendo as barras de metal [que impedem qualquer tentativa de fuga]”, informa. Muitos suínos também são mantidos no escuro por longos períodos e, quando se sentem muito incomodados, se debatem dentro das gaiolas. A luta contra o confinamento gera ferimentos, úlceras e infecções.

De acordo com a Wake, a intenção é mostrar ao público as violações cotidianas enfrentadas pelos animais criados para consumo, e que isso é um retrato do que a indústria da carne não aborda em suas propagandas. “Como indivíduos sencientes e conscientes deste mundo, eles têm direitos morais à vida e à liberdade”, defende a organização.

Saiba Mais: O vídeo é resultado de investigações realizadas em 2018/2019.

_____________________________________________

 

David Arioch é jornalista profissional, historiador e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário.

 

Go to Original – vegazeta.com.br


Tags: , , , , , , , ,

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

*

code

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.