(Português) Até Quando Nos Alimentaremos de Violência?

ORIGINAL LANGUAGES, 17 Aug 2020

David Arioch | Vegazeta – TRANSCEND Media Service

Imagine quanto sangue é derramado para que possamos nos alimentar de carne. Seríamos capazes de encher quantas piscinas?

Assim como nós, os animais que comemos também temem por suas vidas.
(Foto: Rodrigo Abd)

23 jul 2020 – Até o final do dia estarão mortos no Brasil não menos do que 80 mil bois, 131 mil porcos e 16,7 milhões de frangos. Chegamos a esses números calculando os mais recentes dados trimestrais da pecuária no país coletados pelo IBGE.

O total de animais privados de suas próprias vidas em benefício da produção e consumo de carne equivale a cerca de 150% da população do Paraná. Imagine quanto sangue é derramado para que possamos nos alimentar de carne. Seríamos capazes de encher quantas piscinas?

Com base nesses números do IBGE, concluímos que por dia o hábito de consumir carne no Brasil é responsável pelo derramamento de ao menos 6,16 milhões de litros de sangue de bovinos, suínos e frangos, sem considerar outras espécies e variáveis que podem elevar muito esse número.

Em um mês, são 184,8 milhões, o que daria pra encher muitas piscinas olímpicas. E se nos colocassem diante desse cenário? Seria chocante se deparar com tanto sangue fresco de animais recém-abatidos em nosso benefício, não? E o aroma concentrado de tal truculência?

Claro, nem todos se sensibilizariam, mas creio que muitos teriam uma dimensão do quanto nossos hábitos alimentares amparam uma violência incessante, e que parece pouco significante para quem não reflete sobre a abrangência dessa realidade.

Afinal, é a sangria decorrente da degola que, por tradição, decreta o fim da existência dos animais nos matadouros. O sangue escorre fazendo de tantas vidas nada mais do que porções líquidas que se esvaem de um corpo quente com um coração ainda pulsante. Então a vida acaba e o sangue também se torna subproduto.

Agora mesmo sangue está sendo derramado, assim como quando estivermos comendo, dormindo, nos divertindo, conversando. Não importa o que fazemos no momento. Sempre há animais vulneráveis recebendo golpes que terminam quando já não respiram e seus olhos trazem expressões de desespero, terror e medo.

A truculência não cessa, o sangue desce o dia todo, e será assim enquanto matadouros continuarem abertos “apenas porque gostamos de comer carne”, ou porque a supervalorizamos por conveniência, pouco considerando as implicações de tal predileção. Até quando nos alimentaremos de violência?

_____________________________________________

 

David Arioch é jornalista profissional, historiador e especialista em jornalismo cultural, histórico e literário.

 

Go to Original – vegazeta.com.br


Tags: , , , ,

 

Share this article:


DISCLAIMER: The statements, views and opinions expressed in pieces republished here are solely those of the authors and do not necessarily represent those of TMS. In accordance with title 17 U.S.C. section 107, this material is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. TMS has no affiliation whatsoever with the originator of this article nor is TMS endorsed or sponsored by the originator. “GO TO ORIGINAL” links are provided as a convenience to our readers and allow for verification of authenticity. However, as originating pages are often updated by their originating host sites, the versions posted may not match the versions our readers view when clicking the “GO TO ORIGINAL” links. This site contains copyrighted material the use of which has not always been specifically authorized by the copyright owner. We are making such material available in our efforts to advance understanding of environmental, political, human rights, economic, democracy, scientific, and social justice issues, etc. We believe this constitutes a ‘fair use’ of any such copyrighted material as provided for in section 107 of the US Copyright Law. In accordance with Title 17 U.S.C. Section 107, the material on this site is distributed without profit to those who have expressed a prior interest in receiving the included information for research and educational purposes. For more information go to: http://www.law.cornell.edu/uscode/17/107.shtml. If you wish to use copyrighted material from this site for purposes of your own that go beyond ‘fair use’, you must obtain permission from the copyright owner.


There are no comments so far.

Join the discussion!

We welcome debate and dissent, but personal — ad hominem — attacks (on authors, other users or any individual), abuse and defamatory language will not be tolerated. Nor will we tolerate attempts to deliberately disrupt discussions. We aim to maintain an inviting space to focus on intelligent interactions and debates.

*

code

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.